Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Craques vão brigar por lâminas de barbear

Kaká e Ronaldo estrelam campanhas da Procter & Gamble e Hypermarcas

Marili Ribeiro e Paulo Justus, O Estadao de S.Paulo

11 de maio de 2009 | 00h00

Vai começar uma disputa pela preferência do consumidor de aparelhos de barbear, que colocará em campos opostos dois garotos-propaganda de peso no mundo futebolístico. Do lado da Procter & Gamble, está no gramado o meia Kaká, para vender a linha de artigos da Gillette. Do outro, acaba de entrar o atacante Ronaldo, ao assinar contrato com a Hypermarcas. A empresa é dona da marca Bozzano e, desde 2005, tenta promover suas lâminas e aparelhos descartáveis, mas segue com apenas 1% de participação de mercado. A Gillette detém mais de 80% do segmento. Produtos para barbear, que incluem espumas e artigos pós-barba, movimentam anualmente mais de R$ 2 bilhões em vendas. Os aparelhos e lâminas em particular respondem por 85% desse valor, com a venda de 1,2 bilhão de unidades por ano. O sucesso dos aparelhos descartáveis requer inovação e tecnologia constantes, como afirma o diretor de marketing da Gillette, José Cirillo - embora ele mesmo reconheça que o grande apelo desse tipo de produto é construído com consideráveis investimentos em marketing. A P&G, um dos maiores anunciantes globais, tem em seu portfólio de contratados para ações de marketing e propaganda da Gillette figuras como o golfista Tiger Woods, o tenista Roger Federer e o atacante francês Thierry Henry. Com Kaká, o contrato de três anos permite o uso de sua imagem na América Latina. A filial do País também assinou esta semana acordo de patrocínio com a seleção brasileira de futebol. O acerto com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) cobre o período da Copa das Confederações e da Copa do Mundo de 2010, ambas na África do Sul. "O Kaká foi um escolha muito acertada, porque ele é um modelo de jogador em campo e de homem na vida privada", diz Cirillo. "Esse é um mercado de personagens muito conturbados", acrescenta, numa referência velada à escolha do concorrente Hypermarcas pelo jogador Ronaldo que, embora viva uma excelente fase nos campos, andou envolvido em episódios polêmicos recentemente.O presidente da Hypermarcas, Cláudio Bergamo, considera que Ronaldo representa um fenômeno tipicamente brasileiro por ser uma pessoa humilde. "Ele saiu do nada e conseguiu construir tudo o que construiu. Machucou-se, mas voltou. É uma celebridade mundial. Tem todos os aspectos que queremos destacar. Representa uma personalidade que conseguiu subir na vida."Desde que comprou a Bozzano, em julho do ano passado, a empresa pretendia achar um representante para ser seu porta-voz, uma prática usual nas ações de marketing da Hypermarcas. A chegada de Ronaldo no Corinthians atiçou a cobiça pelo craque e surgiu como a oportunidade ideal. O contrato envolve o patrocínio do time, mas o jogador vai promover a marca Bozzano e protagonizar o relançamento de algumas linhas, como as lâminas de barbear, que estavam com as vendas estagnadas, de acordo com consultores que acompanham o segmento de consumo.Para mostrar que aposta em inovação como a concorrente, a empresa fez um acordo com a americana American Safety Razor, dona da marca Persona. "Vamos tirar a Persona e colocar a Bozzano no lugar. Eles vão produzir e nós embalaremos aqui no Brasil. O contrato é de dez anos", informa. A meta da empresa, projeta Bergamo, é chegar a 10% de participação de mercado no próximo ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.