Credenciadoras de cartões apostam em 'mimos' para lojistas

Empresas disputam pequenas bandeiras: Cielo já aceita a Sorocred e Redecard terá nova parceira semana que vem

Fernando Scheller, O Estado de S.Paulo

17 de julho de 2010 | 00h00

Menos de um mês depois da mudança de perfil do mercado de cartão de crédito no Brasil, as principais credenciadoras de cartões do País mudaram o perfil de sua disputa por clientes. Cielo e Redecard, antes associadas à Visa e à Mastercard, respectivamente, agora aceitam ambas as bandeiras e tentam tornar fiéis os lojistas de outras formas: com "mimos" como o desenvolvimento de programas de fidelidade e a abertura de espaço para publicidade dos clientes.

Segundo o presidente da Cielo, Rômulo de Mello Dias, a empresa desenvolveu um sistema de cupons eletrônicos que permitirá que os comerciantes guardem informações sobre os clientes mais fiéis e os surpreendam com brindes e descontos. "Será o fim da obrigação do cliente em guardar uma cartelinha para ganhar um almoço grátis, porque isso estará disponível eletronicamente", explica Dias. A novidade será lançada ainda este ano pela Cielo, diz o executivo. "Só o Barclays, da Inglaterra, tem sistema parecido no mundo."

A Redecard também desenvolveu um "agrado": uma máquina cuja tela pode reproduzir vídeos institucionais e promocionais. Assim, ao pagar, o cliente poderá ser informado sobre a próxima liquidação da loja, por exemplo. Segundo Roberto Medeiros, presidente da Redecard, a máquina já está disponível para clientes de shopping centers. "Também estamos trabalhando na antecipação dos recebíveis para garantir capital de giro ao lojista. Hoje, adiantamos 25% das compras feitas nas nossas máquinas."

Bandeiras. Com o fim da exclusividade da Cielo com a Visa, as duas principais credenciadoras do País também passam a disputar as bandeiras de menor porte. A Cielo conquistou a maior delas: a American Express, que, nos cálculos da empresa, tem cerca de 8% do mercado brasileiro. De acordo com Rômulo de Mello Dias, a parceria com a Cielo vai aumentar a quantidade de máquinas de 400 mil (equipamentos próprios da Amex) para 2 milhões. Medeiros, da Redecard, também diz estar em negociações com a bandeira, que no Brasil pertence ao Bradesco.

Incluindo as bandeiras de menor porte e regionais, a Redecard contabiliza 18 credenciadas, incluindo a Diners, que reúne clientes de alta renda, e a Hipercard, do Itaú, com forte atuação em lojas das regiões Nordeste e Sul. O presidente da Redecard afirma que a empresa credenciará uma nova bandeira na semana que vem, mas não revelou o nome da nova parceira.

O executivo da Cielo conta que, após o fim da exclusividade com a Visa, a prioridade da empresa foi incluir a Amex no portfólio. "É uma bandeira aspiracional, que vai ganhar mais aceitação." Mas a credenciadora já avança sobre as pequenas bandeiras: hoje, aceita cinco cartões, incluindo Aura e Sorocred, este último desde a quinta-feira.

Nos próximos meses, a Cielo sairá na frente com a Elo, nova bandeira do Bradesco e do Banco do Brasil. Medeiros diz, porém, que a Redecard também deverá aceitar os cartões da marca, passado o período de lançamento.

Fidelidade

A Cielo tem um sistema de pontos: quanto mais o lojista usa a máquina, menos paga pelo serviço. A Redecard investe na "máquina premiada", que dá brindes a comerciantes e balconistas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.