Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Credicard aponta uso maior do cartão de crédito no Nordeste

Levantamento da Credicard apontou que, nas regiões Norte e Nordeste do Brasil, a participação dos cheques e cartões de débito entre todos os meios de pagamento é inferior à média do País, ao mesmo tempo em que a cultura do cartão de crédito é mais difundida. O dinheiro é o principal instrumento utilizado nas duas regiões, respondendo por 44% dos pagamentos. Em seguida vêm os cartões de crédito, com 36%. Já os de débito participam apenas com 3%, o cheque com 7% e os cartões de loja com 9%.Nas outras regiões brasileiras, o cheque é utilizado duas vezes mais (14%), assim como o cartão de débito (7%), mostrando que a distância dos consumidores dos bancos desestimula o uso destes instrumentos e reforçam aqueles que não exigem sua intermediação. Daí a alta participação dos cartões próprios de lojas, que na média do País respondem por apenas 5% dos meios de pagamento.Além da questão cultural, os números refletem que o cenário é diverso também por causa da renda dos portadores de cartão. Na comparação com outros Estados, os consumidores destas duas regiões usam o plástico mais para o pagamento de manutenção da casa, na farmácia, no posto de gasolina. "O uso é maior para as despesas básicas", destacou Fernando Chacon, vice-presidente de Marketing da Credicard. Os donos de cartão que ganham entre R$ 300 e R$ 999 são mais numerosos do que do resto do País, representando 65% do total de portadores (contra 55% da média).Por conta disso, é maior também a aceitação do plástico: 47% da População Economicamente Ativa (PEA) é portadora de cartão. A média brasileira é de 36%. Os habitantes destas regiões são também os que têm mais cartões na carteira: 2,22 por portador, contra 1,96 do País todo.O levantamento da Credicard mostrou ainda que o Sul é a região com maior potencial de crescimento nos próximos anos para as empresas de cartão. Embora os patamares de renda sejam mais elevados, a penetração ainda é pequena. Apenas 30% da PEA é portadora do plástico e a participação no total dos meios de pagamento é de 28%.ParcelamentoEntre 2000 e 2002, os portadores de cartão de crédito passaram a usar mais o parcelamento sem juros disponibilizado pelos emissores. Há três anos, 62% dos pagamentos eram à vista e 38% eram a prazo, revelou o estudo da Credicard. No ano passado, os porcentuais passaram a ser 44% e 56%, respectivamente.Por trás deste desempenho, além da maior penetração dos cartões em detrimento do cheque, está a iniciativa dos estabelecimentos de impulsionar as vendas. O parcelamento sem juros é decidido conjuntamente entre o comércio e os emissores do plástico.

Agencia Estado,

26 de maio de 2003 | 17h37

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.