carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Credit Suisse, Nomura e AT&T anunciam cortes

Juntas, companhias vão demitir 18,3 mil pessoas no mundo

Jamil Chade, GENEBRA, O Estadao de S.Paulo

05 de dezembro de 2008 | 00h00

O banco Credit Suisse anunciou ontem o corte de 5,3 mil postos de trabalho e a corretora japonesa Nomura Holdings demitiu outras mil pessoas apenas em seu escritório em Londres. Os números engrossam as estatísticas de demissões de funcionários do sistema financeiro internacional desde setembro, que chegam a 150 mil no mundo. A crise também atinge os setores de telecomunicações, informática, mídia e indústria química. Ontem, somente a companhia de telefonia americana AT&T anunciou corte de 12 mil funcionários durante este mês e o próximo ano (4% do número de trabalhadores); a empresa de softwares Adobe diz que vai demitir 600 pessoas (9% do pessoal); a Viacom, produtora de TV e cinema, deve despedir 850 pessoas (8% do pessoal). Já a indústria química DuPont anunciou que vai cortar 2,5 mil pessoas e deixar de renovar 4 mil contratos temporários. Na área financeira, novas demissões devem ser anunciadas pelo Credit Suisse nas próximas semanas e podem chegar ao Brasil. Marc Dosch, um dos assessores do banco suíço, não descartou a possibilidade. "O corte será geral e, nesse momento, não podemos ainda dar detalhes de onde ocorrerá. Mas não descartamos nada." A demissão reduzirá em 11% o número de trabalhadores, evitando gastos de US$ 2 bilhões. Bônus milionários às altas gerências estão cortados. Nos últimos três meses, o banco sofreu prejuízos de US$ 3 bilhões. Citigroup, Goldman Sachs e JPMorgan Chase anunciaram recentemente demissões de milhares de pessoas. Só o Citigroup estima que acabará com 50 mil postos de trabalho. O Barclays, que acabou ficando com as operações do Lehman nos EUA, deve anunciar demissões de 3 mil pessoas. Na Austrália, o banco de investimentos Macquarie Group Ltd dever reduzir em até 15% sua mão de obra. E o Bank of America não descarta seguir o mesmo caminho, depois da compra do Merrill Lynch. O JPMorgan Chase também anunciou que cortaria 9,2 mil postos de trabalho no Washington Mutual Inc, empresa recentemente adquirida. Os fundos seguem o mesmo caminho. O State Street Corp vai demitir 1,8 mil pessoas nos EUA, 6% de seus empregados. O Carlyle Group também avalia o corte de 10% de seus postos. Já o Jefferies Group eliminará 15% de seus empregados pelo mundo e fechará escritórios em Tóquio, Cingapura e Dubai. COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.