Credit Suisse vê 1o trimestre sem lucro

O Credit Suisse alertou que não deveser lucrativo no primeiro trimestre por causa de grandes baixascontábeis relacionadas à dívida e condições difíceis demercado. Apesar disso, a instituição financeira informou que ochocante impacto com operações anunciado em fevereiro não foitão ruim quanto se pensava. O banco informou em comunicado na quinta-feira que foilucrativo até o final de fevereiro e que a atividade declientes estava forte, mas condições difíceis de mercado emmarço introduziram novo elemento de incerteza. "À luz das difíceis condições de mercado em março, nestemomento, o Credit Suisse acredita que não deverá ser lucrativono primeiro trimestre", informou o banco em comunicado. As ações do Credit Suisse despencavam mais de 10 por centoe as do rival UBS recuavam 4,32 por cento após o anúncio. "Isso é claramente constrangedor para o Credit Suisse eprejudica ainda mais sua reputação que vinha trabalhando tãoduro para melhorar depois de anos de tomada negligente derisco", disse o analista Peter Thorne, da Helvea. Brady Dougan, presidente-executivo americano do CreditSuisse disse que uma investigação ampla não revelou nenhumafalha de avaliação desde que ele foi forçado a revelar emfevereiro que operadores do banco deliberadamente definirampreços equivocados para derivativos de dívida. "Estamos operando em mercados extremamente voláteis. Oestresse na indústria é evidente", disse Dougan emteleconferência. Um prejuízo no primeiro trimestre deste ano será a primeiraperda trimestral desde o segundo trimestre de 2003. Em fevereiro, o banco chocou os mercados ao definir baixacontábil de 2,85 bilhões de dólares em investimentos lastreadosem ativos e suspendeu alguns operadores depois de encontrarerros de preços em seus registros. Na quinta-feira, o Credit Suisse reduziu o tamanho da baixacontábil em 200 milhões de francos suíços (201,4 milhões dedólares), para 2,86 bilhões de francos. Com isso, o banco diz que agora deve divulgar baixacontábil de 1,18 bilhão de francos suíços com relação a suascontas de 2007 e 1,68 bilhão de francos sobre as contas doprimeiro trimestre deste ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.