Crédito cresce 15% em um ano e soma R$ 1,3 tri em novembro

Inadimplência média fica estável em 5,8% no mês e juros têm queda de 0,7 ponto porcentual, aponta BC

Fabio Graner, da Agência Estado,

29 de dezembro de 2009 | 11h12

O saldo de operações de crédito acumula expansão de 14,9% em 12 meses até novembro, de acordo com dados divulgados nesta terça-feira, 29, pelo Banco Central. O estoque total de crédito do sistema financeiro subiu 1,5% em novembro, atingindo R$ 1,388 trilhão. Em relação ao tamanho da economia, o crédito passou de 44,6% do PIB em outubro, para 44,9% do PIB em novembro.

 

O crédito para pessoa jurídica teve alta de 1,9% para R$ 760, 188 bilhões. Esse crescimento foi impulsionado pelo desempenho das operações com recursos direcionados, que subiram 2,6% enquanto as operações com recursos livres tiveram alta de 1,5%. O crédito para pessoa física, por sua vez, subiu 1,1% para R$ 628,389 bilhões. Nesse caso, o crédito com recursos livres é que puxou o segmento, com alta de 1,3%, enquanto as operações com recursos direcionados subiram 0,4%.

 

A inadimplência média do crédito com recursos livres ficou estável em 5,8% em novembro. A inadimplência para pessoa jurídica no mês passado teve ligeira queda de 0,10 ponto porcentual para 3,9% e, para pessoa física, recuou também 0,10 ponto porcentual para 8,1%.

 

Juros

 

A taxa de juros média do crédito com recursos livres teve queda de 0,7 ponto porcentual em novembro, chegando a 34,9% ao ano. O crédito para pessoa jurídica teve queda de 0,5 ponto porcentual no custo, para 26% ao ano. Para pessoa física, o juro caiu de 44,2% para 43% ao ano em novembro ante outubro, uma queda de 1,2 pp.

 

Considerando apenas o crédito livre referencial para o cálculo da taxa de juros praticada no sistema financeiro (conceito mais restrito utilizado pelo Banco Central) houve crescimento 1,6% em novembro, para R$ 713,8 bilhões. Em 12 meses, esse grupo acumula alta de 7,1%. O crédito para a pessoa física nesse grupo subiu 1,6% e o de pessoa jurídica, 1,5%.

 

O spread bancário, diferença entre taxa de captação e taxa de repasse ao cliente, caiu 0,9 ponto porcentual para 25,1 pontos porcentuais ao ano. O spread para pessoa física caiu 1,3 ponto porcentual, para 32,2 pontos porcentuais ao ano, O spread para pessoa jurídica caiu 0,6 pp para 17,1 pontos porcentuais ao ano.

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
créditoBanco Central

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.