Crédito é desafio para PMEs na América Latina

Um dos grandes desafios das pequenas e médias empresas (PME) é ter acesso pleno aos serviços financeiros. A avaliação consta de pesquisa realizada pelo Banco Santander e divulgada nesta quarta-feira, 26. Apesar de mercados como o Brasil terem aumentado a oferta de crédito para as PME, empresários continuam com dificuldade em tomar financiamentos por problemas internos, como a informalidade ou a falta de controles contábeis.

FERNANDO NAKAGAWA, CORRESPONDENTE, Agencia Estado

26 de junho de 2013 | 08h57

"A relação das PME com os bancos da região é menor que o visto em países da OCDE, o que tem muito a ver com as altas taxas de informalidade na região", disse o diretor geral da divisão América do Santander, Javier San Félix. Segundo a pesquisa apresentada pelo banco espanhol, cerca de 50% das pequenas e médias empresas da América Latina estão na informalidade.

Ao apresentar o estudo, o executivo do Santander defendeu que o maior acesso ao crédito poderia alavancar o fôlego das PME. Para isso, porém, defende que empresários ingressem na formalidade. "As maiores dificuldades para o acesso ao crédito são a informalidade, falta de garantias adequadas, baixa diversificação nas receitas e falta de transparência nos balanços e na cultura financeira", disse.

O argumento de Félix é que, como muitas empresas estão na informalidade ou têm pouca familiaridade com controles contábeis, instituições financeiras têm dificuldade em obter informações sobre o potencial cliente. Por isso, bancos acabam se retraindo na oferta de serviços financeiros. "Nesse sentido, a alta informalidade das PME da região é claramente um obstáculo para o pleno acesso ao setor bancário", disse. (

Tudo o que sabemos sobre:
SantanderPMEAL

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.