Crédito e exportação favorecem resultado da produção industrial

O crédito e as exportações foram os destaques no desempenho da produção industrial no primeiro quadrimestre de 2005. Neste período, a produção industrial acumulou alta de 4,5%. "Em termos da composição interna (da indústria), as áreas mais atreladas às exportações e mais sensíveis ao crédito estão mantendo os sinais de crescimento, ao passo que setores de bens e equipamentos ou atrelados à demanda interna têm mostrado perda de dinamismo neste início de ano", afirmou o chefe da coordenação de indústria do IBGE, Silvio Sales.Ele admitiu que o mercado interno, sobretudo nos segmentos vinculados à massa salarial, não apresentou a forte influência esperada na produção do setor. "De setembro para cá houve um aperto na política monetária e isso mexe na decisão de consumidores e empresários".Segundo Sales, no caso de bens não duráveis (vinculados ao rendimento), o efeito inflação acaba influenciando mais, já que há uma recuperação do mercado de trabalho sem, contudo, que a recuperação do rendimento vá no mesmo ritmo.Ele afirmou ainda que o quadro da produção industrial, segundo os dados relativos a abril, é de "estabilização em patamar elevado". Ele explicou que a produção do setor apresentou um nível recorde em dezembro do ano passado e, desde então apresentou oscilação de taxas negativas e positivas, resultando em estabilização.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.