finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Crédito habitacional sobe 2,2% em setembro, mostra BC

O crédito habitacional teve expansão de 2,2% em setembro na comparação com agosto, segundo dados divulgados hoje pelo Banco Central (BC). Com esse crescimento, o total da carteira de crédito do setor alcançou R$ 184,675 bilhões. A expansão do financiamento habitacional no mês passado foi ligeiramente superior à média do mercado, que cresceu 2,1% no período.

FERNANDO NAKAGAWA E FABIO GRANER, Agencia Estado

26 de outubro de 2011 | 11h13

Os financiamentos para a compra de veículos cresceram 1% em setembro ante agosto, e alcançaram R$ 199,318 bilhões. Esta expansão aconteceu apenas nos financiamentos do tipo CDC, que cresceram 2%. Já as operações de leasing tiveram retração de 4,4% no período.

Mais cedo, o BC informou que o estoque de operações de crédito do sistema financeiro cresceu em setembro 2,1% ante agosto, atingindo R$ 1,929 trilhão. O movimento fez com que o estoque de crédito passasse de 47,8% do Produto Interno Bruto (PIB) em agosto para 48,4% do PIB no mês passado. No acumulado do ano, o crédito tem expansão de 13,1% e nos últimos 12 meses encerrados em setembro, alta de 19,6%.

A média diária das concessões do crédito livre teve alta de 3,4% em setembro ante agosto, segundo o Banco Central. No acumulado do ano, esse indicador teve expansão de 7,1% e, em 12 meses, de 6,4%. A média diária de concessões para a pessoa física também subiu 3,4% em setembro ante agosto, acumulando no ano alta de 13,8% e, em 12 meses, expansão de 8%. Para pessoa jurídica, o movimento no mês também foi de 3,4% de alta, mas o desempenho acumulado no ano mostra expansão de apenas 3,1% e, em 12 meses, de 5,4%.

Base monetária

A base monetária subiu 2,5% em setembro ante agosto, atingindo R$ 184,276 bilhões pelo conceito de média do saldo de dias úteis. Nos últimos 12 meses, o indicador teve alta de 6,5%. O volume de papel moeda emitido subiu 3,4% no mês e 9,2% em 12 meses, atingindo R$ 141,885 bilhões, enquanto as reservas bancárias tiveram queda no mês de 0,2% e de 1,5% em 12 meses, totalizando R$ 42,392 bilhões.

Pelo conceito dos saldos em final de período (ponta), a base monetária subiu 5,1% em setembro ante agosto, acumulando elevação de 7,1% em 12 meses. Por esse conceito, a base monetária totalizou, em setembro, R$ 188,505 bilhões. O volume de papel moeda emitido teve em setembro alta de 3,4% e, em 12 meses, de 7,9%, atingindo R$ 142,008 bilhões enquanto as reservas bancárias subiram 11% no mês e 4,7% em 12 meses, chegando a R$ 46,497 bilhões.

Tudo o que sabemos sobre:
BCcréditohabitação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.