Crédito inadimplente atinge recorde na Espanha

Em julho, dívidas ruins subiram 10%, para € 169,3 bi, enquanto os depósitos caíram 

Danielle Chaves, da Agência Estado,

18 de setembro de 2012 | 08h46

MADRI - As dívidas ruins mantidas pelos bancos espanhóis atingiram um recorde em julho e os saques de depósitos aumentaram, segundo dados do Banco da Espanha. Os empréstimos inadimplentes subiram para 169,33 bilhões de euros (US$ 222,13 bilhões), ou 9,9% do crédito total em circulação, de 168,37 bilhões de euros em junho. Os dados também mostram que em julho os depósitos somavam 1,287 trilhão de euros, 7,8% menos do que no mesmo mês do ano passado.

O aprofundamento dos problemas fiscais colocou a Espanha na linha de frente da crise de dívida da zona do euro. Em junho o governo do primeiro-ministro Mariano Rajoy pediu à União Europeia uma ajuda de até 100 bilhões de euros para limpar os bancos mais debilitados e recentemente o aumento dos custos de financiamento do próprio governo vem alimentando expectativas de um pedido de ajuda para todo o país. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Espanhacreditoemprestimos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.