Crédito: juros inalterados do cheque especial

Pesquisa de juros bancários realizada pela Fundação Procon-SP, nos dias três e quatro de outubro, mostra que os juros praticados no cheque especial não sofreram alteração em relação ao mesmo período de setembro. Com relação ao empréstimo pessoal, a maioria dos bancos permaneceu com as mesmas taxas de juros, com exceção dos bancos BBVA e Santander, que promoveram redução. No BBVA a taxa mensal caiu de 2,95% para 2,90%. Já no Santander, a queda foi maior, de 4,30% para 3,90%.A taxa média para o cheque especial permaneceu em 8,55% ao mês, sendo que maior taxa cobrada foi de 9,90% ao mês praticada pelos bancos Bandeirantes e Santander, enquanto que a menor foi a do banco BBVA: 7,50% ao mês. Para o empréstimo pessoal, a taxa média mensal caiu de 4,32% em setembro para 4,29% em outubro. O banco que praticou a maior taxa de juros nessa linha de crédito foi o Itaú (4,90% ao mês) e a menor foi do BBVA (2,90% ao mês). Os técnicos do Procon aconselham ao consumidor evitar essas linhas de crédito, já que as taxas de juros ainda estão em patamares elevados. Para se ter uma idéia, a taxa do Certificado de Depósito Bancário (CDB) de 30 dias - um dos meios utilizados pelos bancos para captação de recursos destinados ao crédito - está em 14,63% ao ano. Por outro lado, os bancos cobram em média uma taxa de 65,54% ao ano no empréstimo pessoal. A diferença é ainda maior na comparação com a taxa média do cheque especial - 167,64% ao ano.Veja no link abaixo a pesquisa completa de juros bancários realizada pelo Procon-SP. Confira também a tabela de CDB e a cartilha de Crédito do site Finanças Pessoais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.