Crédito nos EUA tem queda recorde em novembro

O crédito ao consumidor dos Estados Unidos encolheu a uma taxa anual sazonalmente ajustada de 3,7%, ou US$ 7,9 bilhões, para US$ 2,571 trilhões em novembro em comparação com outubro, segundo informou o Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA), indicando que os norte-americanos continuaram a reduzir seus gastos. O declínio de novembro ficou acima do esperado pelos analistas de Wall Street, que estimavam uma queda de US$ 1 bilhão. Em dólares, o declínio de novembro foi o maior já registrado desde janeiro de 1943, segundo o Fed. Em termos porcentuais, foi a maior redução desde o declínio de 4,3% registrado em janeiro de 1998. O dado de outubro foi revisado para uma queda de US$ 2,8 bilhões, de um declínio inicialmente estimado em US$ 3,5 bilhões. O relatório de crédito ao consumidor exclui hipotecas residenciais e outros empréstimos garantidos por imóveis. O indicador tende a ser altamente volátil de um mês para outro, motivo pelo qual é frequentemente revisado. As informações são da Dow Jones.

SUZI KATZUMATA, Agencia Estado

08 de janeiro de 2009 | 20h01

Tudo o que sabemos sobre:
crédito

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.