Crédito para habitação cresce 22% no ano até outubro

Dados do Banco Central mostram que estoque de crédito em outubro subiu 0,8%; para veículos, no entanto, o resultado caiu pela nona vez consecutiva no ano apesar de incentivos

Célia Froufe, Victor Martins, O Estado de S. Paulo

26 de novembro de 2014 | 11h21

BRASÍLIA - Dados do Banco Central divulgados nesta quarta-feira, 26, apontam que o estoque de crédito dos sistema financeiro subiu 0,8% em outubro em relação a setembro, totalizando R$ 2,926 trilhões. Para habitação, o volume de operações para pessoa física cresceu 2,4% ante setembro e apresentou alta de 22% no acumulado do ano até o mês passado. No caso dos veículos, houve queda de 0,1% ante setembro, a nona seguida na comparação mensal.

Estoque. O estoque de operações de crédito subiu 0,8% em outubro ante setembro e chegou a R$ 2,926 trilhões, como informou nesta quarta-feira, 26, o Banco Central. No acumulado do ano até o mês passado, houve alta de 7,8% e, em 12 meses, de 12,2%.

No mês, houve aumento de 0,4% para pessoas jurídicas e de 1,3% para o consumidor. No ano, a alta até outubro está em 5,8% para as empresas e em 10,1% para a pessoa física. No caso do período de 12 meses encerrados no mês passado, as taxas são de crescimento de, respectivamente, 11,1% e 13,4%.

De acordo com a autoridade monetária, o estoque de crédito livre cresceu 0,2% no mês, 1,9% no ano e 4,9% em 12 meses até outubro. Já no caso do direcionado, aumentou 1,5% em outubro ante setembro, 15,0% em 2014 até o mês passado e 21,5% em 12 meses.

No crédito livre, houve crescimento do estoque de 0,7% para pessoas físicas no mês, de 3,7% no acumulado do ano e de 5,2% em 12 meses. Para as empresas, no crédito livre, houve queda de 0,2% em outubro e altas de 0,3% em 2014 até agora e de 4,7% em 12 meses encerrados em outubro.

O BC informou ainda que o total de operações de crédito em relação ao Produto Interno Bruto (PIB) passou de 57,2% em setembro para 57,3% no mês passado.

Habitação. As operações de crédito direcionado para habitação no segmento pessoa física cresceram 2,4% em outubro ante setembro, totalizando R$ 416,647 bilhões, de acordo com o Banco Central. No acumulado de 2014 até o mês passado, a expansão foi de 22% e, em 12 meses até outubro, de 27,6%.

Segundo o BC, R$ 41,020 bilhões se referem a empréstimos a taxas de mercado e R$ 375,627 bilhões a taxas reguladas. O BC deixou de incorporar nestes dados as operações com crédito livre, por serem residuais.

As operações a taxas de mercado apresentaram crescimento de 2,8% no mês, de 12,6% no ano até o mês passado e de 16,8% em 12 meses até outubro. Já os financiamentos a taxas reguladas avançaram 2,3% em outubro ante o mês anterior, 23,1% no acumulado do ano e 29% em 12 meses.

Veículos. Mesmo após as medidas do Banco Central anunciadas em julho e agosto para fomentar o crédito, em especial, no setor de automóveis, o estoque de operações de crédito livre para compra de veículos por pessoa física recuou 0,1% de setembro para outubro. No mês passado, com o fraco desempenho dos financiamentos para veículos, o BC autorizou também que os bancos pudessem descontar as operações de capital de giro na fatia que precisa ser destinada aos compulsórios.

Segundo o BC, o total de recursos para aquisição de automóveis por esse grupo de clientes ficou em R$ 183,659 bilhões no mês passado - em setembro o volume foi de R$ 183,918 bilhões. No acumulado de 2014, a queda nesse tipo de crédito é de 4,7% e, em 12 meses, de 4,9%.

Esta é a nona queda consecutiva na comparação mensal. Ou seja, desde o começo do ano, o volume de crédito para aquisição de automóveis tem sido cada vez menor.

As concessões acumuladas em outubro para financiamento de veículos para pessoa física somaram R$ 8,654 bilhões, o que representa uma alta de 1,8% em relação ao mês anterior, quando ficou em R$ 8,502 bilhões, o maior volume mensal do ano até então. No acumulado de 2014 até agora, ainda há avanço nesse segmento, de 2,4%. Em 12 meses, a alta é de 3,8%. 

Tudo o que sabemos sobre:
Banco Centralcrédito

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.