finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Crédito para o exportador cai pela metade em novembro

Dados do Banco Central mostram que concessão de empréstimos via ACC foi 51,3% menor na 1ª semana do mês

Fernando Nakagawa e Fabio Graner, da Agência Estado,

12 de novembro de 2008 | 12h52

Os exportadores brasileiros voltaram a sofrer com a falta de crédito no País. Segundo dados divulgados nesta quarta-feira, 12, pelo Banco Central mostram que a média diária de concessão de empréstimos via Adiantamento de Crédito Cambial (ACC) na primeira semana de novembro - entre os dias 3 e 7 - foi 51,3% menor que a média diária de outubro.   Veja também: SP e Minas lançam medidas próprias para elevar crédito De olho nos sintomas da crise econômica  Lições de 29 Como o mundo reage à crise  Dicionário da crise  Entenda a disparada do dólar e seus efeitos   Na primeira semana do mês, exportadores fecharam, na média, US$ 78,2 milhões em contratos de ACC por dia. O valor é menos da metade da média diária de outubro, que ficou em US$ 160,7 milhões. Na comparação com setembro, a queda é ainda mais expressiva: 67,2%, já que a média diária daquele mês ficou em US$ 238,8 milhões.   Os dados preliminares de novembro revertem a tendência positiva observada no fim de outubro, quando os números do próprio BC mostraram alívio na oferta de crédito para o exportador com aumento das operações. O ACC é a linha de crédito mais usada pelos exportadores para financiar a produção das mercadorias que serão vendidas ao exterior.   Fluxo cambial   Os dados do BC apontam ainda que o fluxo cambial - entrada e saída de dólares do País - na primeira semana de novembro foi negativo em US$ 656 milhões. O saldo foi resultado do fluxo comercial negativo em US$ 213 milhões e de um financeiro também negativo em US$ 442 milhões. No fluxo comercial, as exportações somaram US$ 2,363 bilhões, sendo US$ 391 milhões de Adiantamento de Contrato de Câmbio (ACC) e de US$ 598 milhões de operações de pagamento antecipado. As importações somaram US$ 2,576 bilhões na primeira semana de novembro. No fluxo financeiro, as entradas de dólares foram de US$ 5,809 bilhões e as saídas de US$ 6,252 bilhões.   Em novembro do ano passado, também considerando cinco dias úteis, o fluxo cambial foi positivo em US$ 977 milhões. O fluxo comercial foi positivo em US$ 2,058 bilhões e o fluxo financeiro negativo em US$ 1,081 bilhão. Naquele período, as exportações somaram US$ 4,099 bilhões e os ACCs, US$ 865 milhões. As operações de pagamento antecipado atingiram US$ 1,706 bilhão. As importações tinham registrado US$ 2,041 bilhões. No financeiro, na primeira semana de novembro de 2007, as entradas somaram US$ 7,461 bilhões e as saídas US$ 8,542 bilhões.   Com o resultado negativo da primeira semana deste mês, o fluxo cambial acumulado no ano está positivo em US$ 11,893 bilhões ante US$ 77,753 bilhões em igual período do ano passado. As exportações no acumulado do ano somam US$ 165,451bilhões ante US$ 157,606 bilhões em igual período de 2007.   Os ACCs somam US$ 39,742 bilhões ante US$ 38,913 no acumulado até a primeira semana de novembro em 2007. As importações somam US$ 120,784 bilhões ante US$ 89,383 bilhões na mesma base de comparação com 2007. O fluxo financeiro no ano tem saldo negativo de US$ 32,774 bilhões ante saldo positivo de US$ 9,530 bilhões em igual período de 2007.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.