Crédito para veículos cresce 18,4% e soma R$ 145,3 bi em abril

Segundo dados divulgados pela Anef, maior crescimento no período ocorreu na carteira de leasing

Agência Estado,

15 de junho de 2009 | 13h33

O total de financiamentos para compra de veículos chegou a R$ 145,3 bilhões em abril, valor 18,4% superior ao registrado em igual mês do ano passado. Esse estoque inclui as operações de crédito direto ao consumidor (CDC) e leasing e representa 35,3% do total de crédito concedido às pessoas físicas no País, segundo dados da Associação Nacional das Empresas Financeiras de Montadoras (Anef) divulgado nesta segunda-feira, 15.

 

Veja também:

especialAs medidas do Brasil contra a crise

especialAs medidas do emprego

especialDe olho nos sintomas da crise econômica 

especialDicionário da crise 

especialLições de 29

especialComo o mundo reage à crise 

 

O maior crescimento ocorreu na carteira de leasing, que chegou a R$ 64,1 bilhões, um avanço de 64,8% em 12 meses. Já o saldo das operações de CDC caiu 3,1%, para R$ 81,2 bilhões. Já as taxas de juro atingiram em abril 1,59%, o equivalente a 20,84%, o que mostra um recuo em relação ao registrado no final de 2008, quando a média cobrada era de 1,80% ao mês (23,87% ao ano). "O crédito está acompanhando o momento favorável para a comercialização de veículos de passageiros e comerciais leves, impulsionado principalmente pela redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) e redução gradual das taxas de juros", afirmou, em nota,o presidente da Anef, Luiz Montenegro.

 

Na avaliação de Montenegro, a inadimplência no setor está sob controle, favorecida pelas exigências de entradas maiores por parte das financeiras e bancos. Em abril, os atrasos acima de 90 dias correspondiam a 5,2% da carteira de financiamento de veículos. "Apesar da curva crescente, a inadimplência está em patamares administráveis e a tendência é que volte a apresentar retração a partir do segundo semestre do ano", disse o dirigente.

Tudo o que sabemos sobre:
créditosetor automotivo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.