Crédito rural de R$ 156,1 bi será destinado a custeio e investimento

Outros R$ 44,1 bilhões são para programas de investimento,  segundo o plano de safra lançado pela presidente Dilma Rousseff

RICARDO DELLA COLETTA, NIVALDO SOUZA E RAFAEL MORAES MOURA, Agencia Estado

19 de maio de 2014 | 10h49

O Ministério da Agricultura informou nesta segunda-feira, 19, que dos R$ 156,1 bilhões disponibilizados pelo Plano Agrícola e Pecuário (PAP) 2014/15, R$ 112 bilhões serão destinados ao financiamento de custeio e comercialização. Outros R$ 44,1 bilhões são para programas de investimento. O montante corresponde a um aumento de aproximadamente 14,8% em relação à safra anterior, quando foram autorizados R$ 136 bilhões.

O PAP 2014/15 é lançado hoje pela presidente Dilma Rousseff, em cerimônia no Palácio do Planalto. O ministério da Agricultura também informou que, no ciclo lançado nesta segunda-feira, o Programa de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp) terá R$ 16,7 bilhões para custeio, comercialização e investimento, valor 26,5% superior ao da safra 2013/14.

O limite de empréstimo para custeio subiu de R$ 600 mil para R$ 660 mil; já os de investimentos passaram de R$ 350 mil para R$ 400 mil. Outra diferença entre o PAP anterior e o lançado hoje é a "revitalização" do Moderfrota, voltado ao financiamento e compra de máquinas agrícolas. As taxas de juros para essa modalidade foi reduzida de 5,5% para 4,5%.

A cerimônia de lançamento do Plano Agrícola e Pecuário (PAP) 2014/15 conta com a presença do ministro da Agricultura, Neri Geller. O valor para financiamento do PAP, de R$ 156,1 bilhões, faz parte de um ''pacote de bondades'' preparado pelo governo para se reaproximar do agronegócio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.