Créditos bilionários

Pelas regras do Banco Central, nenhum banco pode comprometer mais de 25% do seu patrimônio com um único cliente. No caso do BNDES, que tem patrimônio de R$ 97,8 bilhões, o limite seria de R$ 24,4 bilhões. Mas, só na Petrobrás, esse número chega a R$ 64,2 bilhões (somando-se créditos de R$ 41,7 bilhões e participação acionária de R$ 22,5 bilhões). Mesmo assim, o banco de fomento ainda não está desenquadrado no Banco Central, porque normas do Conselho Monetário Nacional abrem exceções. A primeira permite ao banco considerar cada subsidiária da estatal como um único cliente no cálculo do limite. Uma segunda exceção, que será retirada aos poucos, a partir de julho, até 2024, permite ao BNDES excluir as ações do cálculo do limite. Dessa forma, o Banco Central considerará apenas o comprometimento em crédito.

O Estado de S.Paulo

26 Abril 2015 | 02h04

Mais conteúdo sobre:
O Estado de S. Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.