finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Credores aceitam redução de 50% da dívida grega

A zona do euro chegou a um acordo com os credores privados da Grécia para uma baixa contábil de 50% em seus títulos da dívida do governo grego. Também foi acordado que o mecanismo de resgate do euro será alavancado em até cinco vezes, disse hoje o presidente do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy.

DOW JONES, Agencia Estado

27 de outubro de 2011 | 03h28

As medidas são os mais ousados passos da zona do euro, depois de quase dois anos de relutância que fez a crise da dívida grega se espalhar para economias maiores, como Itália e Espanha.

A zona do euro construiu um "suficiente firewall contra o contágio, graças a um acordo para multiplicar em até cinco vezes o poder de fogo de resgate do Fundo Europeu de Estabilidade Financeira (EFSF, na sigla em inglês)", afirmou Van Rompuy. "A alavancagem pode ser em torno de ? 1 trilhão sob determinados pressupostos."

Já a baixa contábil tem por objetivo reduzir a dívida grega de mais de 160% do PIB para cerca de 120% até 2020.

Segundo o acordo, os bancos concordam em amortizar 50% do valor de seus títulos da dívida grega, enquanto o EFSF e o Fundo Monetário Internacional (FMI) irão fornecer um adicional de ? 100 bilhões. Um extra de ? 30 bilhões será fornecido na forma de aumento de crédito para os bancos.

Van Rompuy disse que o EFSF será alavancado através de melhorias do crédito dos títulos soberanos emitidos pelos Estados membros, eliminando assim a preocupação com a liquidez.

Tudo o que sabemos sobre:
zona euroacordocredoresdívida grega

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.