Credores da Varig rejeitam proposta da VarigLog; Justiça avaliará

Apesar de o presidente da Varig, Marcelo Bottini, ter dito hoje durante a assembléia dos credores da companhia que a proposta de compra de US$ 500 milhões feita VarigLog seria uma solução melhor do que a falência, os credores da companhia decidiram no final desta segunda-feira rejeitar a proposta. De acordo as primeiras informações sobre o final da reunião, apenas os funcionários aprovaram a proposta.Sem a aprovação, o caminho natural seria, de fato, a falência, mas a Justiça ainda não se pronunciou sobre a decisão. Caso a proposta tivesse sido aprovada pelos credores, a Varig seria levada a leilão na próxima quarta-feira.A VarigLog já havia feito uma proposta pela empresa e hoje foram votadas as mudanças nesta proposta. O novo modelo apresentado hoje aos credores priorizava o pagamento das dívidas com o fundo de previdência dos funcionários, o Aerus, de R$ 2,5 bilhões e ainda créditos e penhores do Banco do Brasil, de cerca de R$ 17 milhões de reais.A proposta previa ainda a indicação de gestores judicial e fiduciário das debêntures que seriam emitidas por uma Sociedade de Propósito Específico para gerir os recursos da antiga Varig, empresa que herdaria as dívidas de R$ 7,9 bilhões após o leilão de seus principais ativos e continuaria operando com a marca Nordeste Linhas Aéreas.Essa nova empresa teria apenas 50 empregados e a expectativa era de um fluxo de caixa de R$ 19,1 bilhões em 2007. Pelo plano, a Nordeste chegaria a 2016 com um fluxo de R$ 40,9 milhões. A empresa ficaria com o Centro de Treinamento de Pilotos, a linha São Paulo-Porto Seguro e com os créditos a receber da União e de 10 Estados brasileiros, que, corrigidos, somam quase R$ 6 bilhões. Assembléia interrompidaA assembléia de credores da Varig, iniciada na manhã desta segunda-feira, foi suspensa por volta das 10h30 e foi retomada por volta das 15 horas. O comitê pediu à Deloitte, administradora judicial da companhia aérea, um prazo maior para analisar mudanças feitas durante o final de semana na proposta de US$ 500 milhões, feita pela VarigLog. Segundo fontes, as empresas de leasing estariam contrárias às modificações propostas durante o final de semana, o que poderia impedir a aprovação da oferta da VarigLog na reunião com os credores, o que de fato aconteceu. Os principais credores estatais aprovaram, entre eles a Infraero e a BR Distribuidora. A proposta também contou com a anuência da Embraer e Aerus (principal credor privado). Contudo, a recusa ficou concentrada nas empresas de leasing.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.