Credores e devedores do Banco Santos serão cadastrados

Os credores e devedores do Banco Santos deverão ser cadastrados e catalogados a partir desta terça-feira pelo interventor da instituição, Vânio César Aguiar, para começar as negociações sobre o futuro do banco, que está sob intervenção do Banco Central desde sexta-feira. A intervenção impede o funcionamento das agências, que permanecerão fechadas por tempo indeterminado. Aguiar terá 60 dias para fazer uma investigação detalhada sobre a situação do banco. O prazo poderá ser prorrogado por mais 60 dias. Conforme as regras vigentes, os clientes do Banco Santos terão direito a receber até R$ 20 mil dos recursos depositados. O dinheiro será retirado do Fundo Garantidor de Crédito (FGC), mecanismo criado em 1995 para assegurar a correntistas de bancos sob intervenção ou em processo de falência, o recebimento de parte de seus depósitos. Apesar da liberação deste dinheiro não ser automática, os técnicos do Banco Central acreditam que o processo não será demorado. Isso porque o Banco Santos possui apenas 700 clientes, o que facilita a montagem da lista de recebedores. O futuro do Banco Santos ainda é incerto. Se seu controlador, Edemar Cid Ferreira, conseguir injetar R$ 700 milhões na instituição, o Banco Central poderá liberar o retorno das operações. A venda também é uma alternativa. Se nenhum desses caminhos for possível, o interventor poderá recomendar a liquidação extra-judicial da instituição ou a falência do banco.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.