Credores e secretário argentino não chegam a acordo

A Argentina aparentemente não fez nenhum avanço em seu objetivo de ganhar apoio entre os credores internacionais para seu plano de reestruturação da dívida em moratória. Após um encontro com o secretário de Finanças da Argentina, Guillermo Nielsen, administradores de fundos disseram que a discussão foi tensa e nenhum avanço foi feito para resolver a moratória de mais de US$ 80 bilhões em bônus. No encontro de hoje, o governo argentino apresentou aos credores norte-americanos seu plano de reestruturação, que foi apresentado na semana passada aos investidores europeus e japoneses. Os credores norte-americanos disseram que Nielsen reiterou a intenção do governo argentino de obter um desconto nominal de 75% do valor de face da dívida, segundo informou a Dow Jones.. Um gerente de fundos disse que as discussões também ficaram centradas na meta de superávit orçamentário de 3% do governo argentino, que é considerado insuficiente para honrar no futuro as obrigações da dívida da Argentina junto ao setor privado. Os investidores disseram que querem uma meta de superávit de 4% a 5%. IFC aprova recursos para banco argentino O IFC, braço financeiro do Banco Mundial, anunciou hoje que aprovou US$ 70 milhões para o financiamento de operações de comércio exterior do Banco Río de la Plata S.A., de Buenos Aires. A instituição, que pertence ao Grupo Santander, é a segunda no ranking dos bancos argentinos. Com estes recursos, o banco poderá oferecer pré-financiamento de vendas externas aos exportadores argentinos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.