Credores estipulam prazo para Varig apresentar auditoria

Depois do acordo para a suspensão temporária do pagamento de empréstimos devidos de julho a novembro com credores, a Varig terá de apresentar, até o próximo dia 30 de novembro, uma auditoria de suas finanças e um planejamento estratégico. Este passo é considerado fundamental para o projeto de aporte de capital na empresa. A suspensão de pagamentos, negociada nos últimos dias, não havia sido assinada até o início da noite de hoje, mas espera-se que seja decidida até amanhã.O prazo foi fixado pelos credores da empresa. A auditoria financeira está a cargo da KPMG e o planejamento, da consultoria Bain & Company, que já atuou na reestruturação de empresas do setor nos Estados Unidos. Segundo um executivo que acompanha de perto o processo de tentativa de recapitalização da companhia, os dois trabalhos definirão se "haverá possibilidade ou não"."Estamos dando um fôlego à nova administração da Varig até o fim de novembro. Há uma boa disposição com relação à administração, que está disposta a fazer o que tem de ser feito. As coisas podem seguir para um caminho bom", disse um executivo de uma das principais empresas credoras da Varig. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) monitora os trabalhos.O acordo vale, na prática, por 45 dias. Isto porque ele suspende o pagamento dos empréstimos devidos de julho até o fim de novembro e está sendo assinado apenas agora. Passado este prazo, está prevista a retomada no pagamento destes empréstimos. A Varig se compromete, por outro lado, a honrar os pagamentos correntes de despesas operacionais, como combustível, tarifas aeroportuárias, de manutenção.Alguns dos principais credores da Varig são a Boeing, o Unibanco, a Petrobrás Distribuidora, a GE Capital, o Banco do Brasil e a Infraero. Duas fontes ouvidas informaram que ainda não foi definida a eventual troca de parte dos créditos contra a Varig por participação acionária na empresa. A Varig limitou-se a informar que seu presidente, Arnim Lore, irá se pronunciar somente quando as negociações estiverem concluídas.AçõesHoje, as ações preferenciais da Varig subiram 4,17%. Em outubro, contudo, os papéis acumulam queda de 9,42%. Os papéis da companhia são pouco negociados e apresentam baixa liquidez de mercado. Não houve negociação com as ações da Varig Participação em Transporte Aéreo (VPTA), que pertence à ramificação de investimentos da Fundação Ruben Berta (FRB) e que controla as empresas de aviação Rio Sul e a Nordeste.Tanto o BNDES quanto os credores da Varig já apontaram que a solução da companhia deve incluir todas as empresas aéreas do grupo. Desta forma, a fusão da Varig com a Rio Sul e Nordeste é esperada pelo mercado, assim como a unificação dos conselhos de administração das três empresas. O projeto inicialmente concebido pela Varig prevê a participação do BNDES com cerca de um terço da recapitalização na empresa aérea, por meio da compra de debêntures.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.