Credores não devem recorrer à Justiça, diz ministro argentino

O ministro da Economia da Argentina, Roberto Lavagna, advertiu os investidores estrangeiros que são portadores de bônus vencidos do país de que entrar na Justiça não é uma maneira de recuperar seu dinheiro. "Os credores sabem, mesmo que exerçam seu direito legal, que é muito difícil recuperar dinheiro dessa maneira. Eles não vão recuperar seu dinheiro com ações judiciais, e sim apoiando uma reestruturação razoável, que combine a possibilidade de crescimento do país com capacidade de pagamento", disse o ministro.A declaração foi feita poucos dias depois de um tribunal norte-americano acelerar um processo no qual alguns credores reivindicam US$ 8 milhões. Ontem, o governo argentino havia dito que ainda estuda se vai ou não recorrer da decisão. O veredicto, que deve sair dentro de um mês, dependendo de uma ação separada, servirá como recurso para ordens de apreensão de ativos já concedidas na Alemanha e na Suíça. Até agora, nenhum ativo argentino foi apreendido nesses países.BirdO Banco Mundial (Bird) vai enviar US$ 325 milhões à Argentina esta semana como parte dos empréstimos aprovados pela instituição que haviam sido retidos, confirmou um porta-voz do escritório do Banco Mundial em Buenos Aires. O desembolso será dividido em US$ 200 milhões destinados ao governo federal e US$ 125 milhões para a província de Córdoba.Esse montante não faz parte dos planos de empréstimo de US$ 500 milhões que o Banco Mundial está considerando para a Argentina, para ajudar o governo federal a recolher mais de US$ 7 bilhoes em bônus locais que circulam como "quase dinheiro" em diferentes províncias argentinas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.