Credores pedem negociações diretas com governo argentino

O grupo de credores estrangeiros da Argentina continua a pedir negociações diretas de "boa-fé" com o governo argentino para reestruturação da dívida em moratória. Na terça-feira, o Comitê Global de Portadores de Bônus da Argentina realizou uma reunião em Nova York com a participação de Federico Molina, representante do governo argentino em Washington, que foi enviado apenas como observador, sem poder para negociar. "Embora estejamos agradecido pelo governo ter enviado Molina, isso não representa um esforço de boa-fé da Argentina para negociar com um comitê representando a nação de credores", disse nota do comitê.A nota diz esperar que o governo "inicie negociações diretas" com o comitê, "onde ambas as partes se prestem a se reunir e se comprometam em esforços sérios" para um acordo de reestruturação. O comitê representa vários portadores de títulos argentinos institucionais e individuais nos EUA, Europa e Japão, e afirma que representa mais de dois terços de US$ 53 bilhões em dívida nominal mantida por investidores estrangeiros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.