Credores podem revisar pacote extra de ajuda à Grécia, diz ministro alemão

Declarações foram dadas em meio à crescente especulação de que a Grécia possa entrar em default  

Gabriel Bueno, da Agência Estado,

23 de setembro de 2011 | 11h19

WASHINGTON - Os credores da Grécia podem ter de revisar os termos do acordo de 21 de julho para enviar um pacote adicional de ajuda ao país, disse nesta sexta-feira o ministro das Finanças da Alemanha, Wolfgang Schaeuble.

"Seria uma surpresa para mim se as condições para o desembolso da próxima tranche de ajuda em setembro houvessem mudado, mas não se as condições para um programa adicional tiverem mudado", disse Schaeuble em entrevista coletiva, em um intervalo de uma série de encontros internacionais. "Porém eu quero esperar e ver primeiro."

As declarações de Schaeuble são dadas em meio à crescente especulação de que a Grécia possa entrar em default e buscar uma ajuda muito maior para cobrir sua dívida que o previsto em julho, graças a repetidos fracassos para cumprir suas metas de redução de déficit e crescimento econômico.

O presidente do Banco Central da Holanda, Klaas Knot, disse em entrevista mais cedo nesta sexta-feira ao jornal Financieele Dagblad que não podia descartar um default da Grécia. O presidente do BC alemão, Jens Weidmann, negou-se a comentar a opinião de Knot, que foi o primeiro membro do conselho do Banco Central Europeu (BCE) a admitir publicamente a possibilidade de que a Grécia precise entrar em default. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.