Credores registram objeções à concordata de Detroit

O maior sindicato de empregados, aposentados e residentes de Detroit protocolou objeções ao pedido de proteção contra concordata da cidade, o maior caso municipal desse tipo na história ds EUA e um movimento para limpar bilhões em dívida.

Agencia Estado

20 de agosto de 2013 | 10h49

A objeção do Conselho American Federation of State, County & Municipal Employees Michigan 25 veio antes da apresentação prevista de objeções por dois fundos de pensão da cidade, detentores de bônus, bancos e outras pessoas que esperam convencer o juiz federal Steven Rhodes a não permitir o pedido de concordada do gestor de emergência de Detroit, Kevyn Orr.

Rhodes estabeleceu segunda-feira como o prazo final para a objeção à elegibilidade. Os advogados dos grandes credores tinham até um pouco antes da meia-noite de segunda-feira para apresentar objeções eletronicamente. Os credores individuais que temem perder suas pensões e pagar mais por assistência médica começaram a registrar objeções pessoalmente no tribunal. Até a noite de ontem mais de 100 objeções tinha sido registradas, incluindo as feitas por vários sindicatos menores da cidade.

"Nós achamos que os credores e os bancos farão objeções durante o litígio sobre o plano proposto de ajuste, que nós estamos planejando concluir até o fim do ano", disse Bill Nowling, porta-voz de Orr.

Desde 1954, 29 dos 62 pedidos de concordatas municipais feitos nos EUA foram negados. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
EUADetroitconcordata

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.