Cresce a confiança no desempenho do país

O Índice Nacional de Expectativa do Consumidor (INEC), mostrou em maio um crescimento de 3,8% em relação ao mesmo período do ano passado. A pesquisa apontou porém, que os entrevistados estão preocupados com o aumento da inflação. Outro dado significativo, refere-se às intenções de compra por parte dos consumidores. O presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Carlos Eduardo Moreira Ferreira, avalia que o desempenho de maio foi positivo porque existe a percepção de uma melhora do nível do emprego no segundo semestre . Segundo ele, há uma expectativa de queda das taxas de desemprego e de aumento da renda de curto prazo. Ainda assim, o cidadão não está querendo assumir mais dívidas.Moreira Ferreira explica que, em maio do ano passado, a desvalorização cambial já tinha sido assimilada pela população. Por este motivo, o resultado da pesquisa sustenta que os indicadores podem ser comparados e que as perspectivas para 2000 são melhores. Resultado ruim em comparação a fevereiro desse ano Os dados de maio ficaram piores se comparados com a pesquisa de fevereiro deste ano. O INEC apontou uma queda de 1,5% entre estes dois períodos. Apenas as expectativas sobre inflação e desemprego tiveram índices positivos.Com relação às perspectivas de aquisição de produtos e serviços, a pesquisa de maio, se comparada com a de fevereiro deste ano, registrou uma queda de 3,9%. Neste período, subiu de 28% para 33% o número de pessoas que disseram que pretendem comprar menos nos próximos três meses.Moreira Ferreira afirmou que, neste caso específico, deve ser levado em conta que em maio existem variáveis que colaboram para a avaliação negativa. O aumento do salário mínimo, que fica abaixo do índice esperado, e a elevação das taxas de desemprego em função da sazonalidade - fatores relativos à época do ano - interferem na consulta à população.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.