finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Cresce a formalização do mercado de trabalho no País

Um dos dados mais positivos da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED) de outubro foi o aumento da formalização do mercado de trabalho, segundo a Fundação Seade e o Dieese. Na Região Metropolitana de São Paulo houve um aumento de 2,9% do emprego com carteira assinada, de setembro para outubro, ao mesmo tempo em que foi verificada uma diminuição de 2,8% das vagas sem carteira, no mesmo período. Na comparação com outubro de 2006, o avanço do número de trabalhadores com carteira assinada foi de 6,8%.No total, das seis regiões metropolitanas analisadas pelas instituições (Belo Horizonte, Porto Alegre, Recife, Salvador, São Paulo e Distrito Federal) também houve avanço do emprego formal em outubro, tanto em relação a setembro (2%) quanto na comparação com o mesmo mês de 2006 (7,3%).Já o volume de trabalhadores sem carteira assinada caiu em relação a setembro (0,6%) e subiu 0,9%, ante outubro de 2006. "A evolução é muito positiva", comentou o coordenador de análises da Fundação Seade, Alexandre Loloian. "Estamos indo na direção boa, com mais trabalhadores regularizados e tendo acesso à direitos", acrescentou.Outro ponto positivo da PED de outubro, destacado pelo coordenador, foi o crescimento simultâneo da taxa de ocupação e do rendimento médio, visto tanto nos dados da Grande São Paulo quanto nos das seis regiões analisadas pelas instituições. "Quando observamos aumento da taxa de emprego geralmente ele está relacionado a parte debaixo (da pirâmide social). O que podemos ter agora é que, após a recuperação da base da produção, começa-se a contratar pessoas de escala superiores", analisou.Loloian salientou ainda que o tempo médio de procura por trabalho foi reduzido de 48 semanas em setembro, para 47 semanas no mês passado. Em outubro de 2006, esse período era de 53 semanas.Construção civilO setor da construção civil foi o principal destaque positivo do mercado de trabalho em outubro. Somente no mês passado, houve um incremento de 10,1% do número de empregados no setor, ante setembro, na Grande São Paulo. No ano, a elevação é de 19,3% e, em 12 meses, de 15,1%.Nas seis regiões (Belo Horizonte, Porto Alegre, Recife, Salvador, São Paulo e Distrito Federal), também analisadas pelas instituições, o comportamento do setor foi similar, com crescimento de 3% do número de ocupados, de setembro para outubro, e de 10,9%, na comparação com outubro de 2006.No caso da indústria, houve um aumento de 0,7% da empregabilidade no período, especificamente na Grande São Paulo, e de 0,3% nas seis regiões analisadas. "Não podemos nos esquecer que a indústria empregou muito nos últimos meses. Acho que agora há uma parada técnica para avaliar se é preciso contratar mais", disse.A surpresa negativa ficou por conta do comércio, segundo Loloian. "Estamos em pleno outubro e há muito tempo o setor está estagnado." No mês passado, houve queda de 0,2% da taxa de ocupação do setor pelo segundo mês consecutivo, tanto na média das regiões, quanto na Grande São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.