Cresce a ocupação média nos vôos nacionais e internacionais

O ministro da Defesa, José Viegas, disse nesta sexta-feira à Agência Estado que está confiante na recuperação das empresas aéreas. Ele está comemorando os números do setor alcançados no mês de setembro: houve uma elevação média do nível de ocupação das aeronaves tanto em vôos domésticos, como em vôos internacionais. Nos vôos nacionais, o nível médio de ocupação de assentos nas empresas subiu de 54,5%, em setembro de 2002, para 60,5%, em setembro de 2003. Nos vôos internacionais, a média subiu de 62,5% para 74%.Os dados constam de relatório do Departamento de Aviação Civil (DAC) encaminhados ao Ministério. Pelo relatório, comparando o mês de setembro deste ano, com o do ano passado, a Varig, por exemplo, apresentou um crescimento na ocupação de assentos de 59% para 64%, nas linhas nacionais, e de 72% para 77% nas internacionais. A TAM passou de 48% para 60%, nas linhas internas, no mesmo período, e de 53% para 71%, nas linhas internacionais. Na Gol, a situação não é diferente: a ocupação dos vôos domésticos passou de 55% em setembro do ano passado, para 56% este ano."Apesar da retração da demanda e da redução da frota, as empresas estão conseguindo melhorar seus índices de ocupação das aeronaves", declarou o ministro. Viegas considerou "uma proeza" os números alcançados pelas companhias aéreas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.