Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Cresce contratação de temporários no setor de turismo

Previsão da CNC é que número de vagas cresça 1,1% neste verão na comparação com a temporada passada

DANIELA AMORIM / RIO, O Estado de S.Paulo

28 de janeiro de 2015 | 02h04

Embora o mercado de trabalho dê sinais de desaquecimento, o setor de turismo deve expandir o número de empregados nos próximos meses. O segmento criará 35,5 mil postos de trabalho temporários em todo o País no verão de 2015, calcula a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

O montante representa um aumento de 1,1% em relação às vagas criadas no mesmo período do ano passado. A desvalorização do real em relação ao dólar favoreceu o turismo interno. "Com a alta do dólar, muita gente que pretendia viajar para o exterior acabou optando por um pacote nacional", explicou Fabio Bentes, economista da CNC.

A média salarial de admissão no setor deve chegar a R$ 1.150 no final do ciclo de contratações, um ganho real de 3,6% ante 2014. Segundo Bentes, os aumentos salariais têm sido maiores no setor de turismo do que nas demais atividades porque os trabalhadores são mais qualificados.

Em 2007, 172,3 mil trabalhadores formais do segmento de turismo tinham nível superior completo ou incompleto. Em 2013, o total de trabalhadores com esse grau de qualificação tinha quase dobrado: 331,2 mil. Isso explica porque o salário médio real no setor de turismo cresceu 23,7% no período, já descontada a inflação, enquanto a média do mercado de trabalho foi de alta de 21,5%.

"A instrução é o que explica esse ganho real nos salários acima do registrado em outras atividades. A procura por profissionais mais qualificados aconteceu também por conta dos eventos que o País recebeu recentemente, como a Copa do Mundo", justificou Bentes.

Alimentação. Segundo a entidade, o segmento que mais contratará neste verão é o da alimentação fora de casa. O setor, que inclui bares e restaurantes, deve ser responsável por mais da metade das vagas geradas (53,4%), o equivalente a 18,9 mil postos.

Apesar do aumento de 1,1% no número de trabalhadores temporários em 2015, a CNC alerta que houve desaceleração em relação ao ano anterior, acompanhando o segmento de serviços como um todo. No verão de 2014, a contratação de trabalhadores temporários no turismo tinha crescido 2% em relação a 2013.

Tudo o que sabemos sobre:
O Estado de S. Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.