Cresce diferença entre país desenvolvido e em desenvolvimento

A distância entre os países desenvolvidos e os em desenvolvimento aumentou muito nos últimos 20 anos e atualmente "praticamente já não é possível" para a América Latina igualar o seu Produto Interno Bruto per capita aos dos países ricos. Dados sobre o assunto foram mostrados hoje pelo assessor da Presidência da Corporação Andina de Fomento (CAF), Guillermo Vega Alvear, no seminário "A cooperação sul-americana" pela Fundação Perseu Abramo e pela Associação Comercial do Rio de Janeiro. De acordo com ele, se os países desenvolvidos ficassem estagnados e a América Latina crescesse entre 3,5% a 4% ao ano, considerando o seu crescimento populacional, só em 120 anos o PIB per capita da região teria alcançado o dos países ricos. Em 1980, essa igualdade não parecia tão longe. Na ocasião, a média do PIB por habitante nos países desenvolvidos era de US$ 12.002 e na América Latina de US$ 6.630. De lá para o ano 2000, o PIB per capita dos países desenvolvidos mais que dobrou passando para US$ 26.400 e o da América Latina ficou estagnado, até com uma pequena queda, passando para US$ 6.427. "Temos que mudar a estratégia de crescimento", conclui Alvear, defendendo, a partir daí, a integração regional da América do Sul.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.