Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Cresce inadimplência nas escolas particulares de São Paulo

Falta de pagamento atingiu média de 9,09% de janeiro a setembro deste ano, aponta estudo do Sieeesp

JOSÉ MARIA TOMAZELA, Agencia Estado

06 de novembro de 2009 | 17h05

O índice de inadimplência nas escolas particulares atingiu média de 9,09% de janeiro a setembro deste ano, contra 8,23% no mesmo período do ano passado, conforme dados apresentados nesta sexta-feira, 6, pelo Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do Estado de São Paulo (Sieeesp). O levantamento incluiu escolas de ensino fundamental e médio de todas as regiões do Estado. Por região do Estado, a capital paulista e São José dos Campos apresentaram inadimplência média acima de 11%. No ABC, região industrial, o índice médio ficou abaixo de 7%.

De acordo com Silva, a falta de pagamento deve pesar no índice de reajuste das mensalidades para 2010, que devem ser corrigidas entre 4,5% e 6,5%. "As escolas não têm caixa para bancar o inadimplente e precisam recorrer ao mercado financeiro." Os juros, segundo ele, entram na planilha de custos que serve de base para o reajuste. As escolas têm até 15 de dezembro para definir o valor da mensalidade para o ano que vem.

A recomendação do sindicato é de que mantenham o reajuste próximo do índice da inflação. Prevê-se que a inflação média medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) terminará o ano em 4,3%. Escolas que reduziram a mensalidade no período da crise ou investiram em tecnologia podem reajustar acima desse índice, mas são casos isolados, segundo ele. "O mercado regula, pois é muito competitivo. Quem aumentar demais perde alunos", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.