Cresce número de fraudes na Argentina

Segundo uma pequisa realizada pela consultoria KPMG, 86% dos 1.400 diretores de empresas entrevistados que operam na Argentina afirmam que os custos do suborno - em média - são de 20% do total da quantia dos contratos. A proporção de fraudes nas empresas argentinas aumentou aceleradamente desde 2003. Na época, 33% dos entrevistados afirmavam ter sido vítimas da corrupção. Em 2007 chegou a 41%. Mas, em 2008, alcançou 66%. Segundo fontes empresariais, nos anos 80 era costumeira a propina de 6% do contrato. Mas, nos anos 90, a proporção aumentou para 8%. E na crise argentina se ampliou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.