Cresce procura por crédito imobiliário

Quem tem urgência em financiar a compra de um imóvel usado não precisa adiar os planos por causa da decisão da Caixa Econômica Federal (CEF) de exigir depósitos mensais por um ano para liberar o financiamento a mutuários com renda mensal acima de 12 salários mínimos, ou R$ 1.812,00 - o chamado Poupanção. A maior parte das instituições financeiras está com suas linhas de crédito imobiliário abertas e assegura ter caixa suficiente para atender os novos clientes. Vale lembrar, no entanto, que condições similares às oferecidas pela antiga carta de crédito da Caixa só estão disponíveis no mercado para financiamentos de até R$ 150 mil relativos a imóveis avaliados em até R$ 300 mil, pelo Sistema Financeiro da Habitação (SFH), cuja taxa de juros é de 12% ao ano mais TR. Se o valor do imóvel for superior a R$ 300 mil, poderá ser preciso arcar com taxas mais pesadas da Carteira Hipotecária, de até 15%. No Poupanção, após 12 meses de depósitos, o juro será de 12%. Os bancos privados já registram aumento na procura por crédito imobiliário. No Santander, por exemplo, a demanda cresceu 30% nas últimas semanas. No caso do Citibank, a demanda já é superior ao volume de recursos disponível para esse tipo de empréstimo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.