Cresce procura por títulos públicos de longo prazo

O coordenador-geral de operações da Dívida Pública do Tesouro Nacional, Fernando Garrido, avaliou nesta segunda-feira que a rentabilidade dos títulos de longo prazo tem sido bastante expressiva. Segundo ele, tem havido aumento da demanda dos investidores por este tipo de papel.

ADRIANA FERNANDES E RENATA VERÍSSIMO, Agencia Estado

24 de setembro de 2012 | 15h57

Dependendo da carteira dos investidores, existem títulos com prazos mais longos, como NTN-B, cuja rentabilidade foi maior do que 50%, disse ele, sem no entanto citar o período. "O pessoal do Tesouro Direto está bastante satisfeito", acrescentou Garrido, em referência aos investidores pessoa física que compram esses títulos de longo prazo pelo programa de venda pela internet.

Garrido afirmou que o destaque no mês de agosto na Dívida Pública foi o leilão de troca de NTN-B. Neste leilão, o Tesouro vendeu R$ 14,9 bilhões de NTN-Bs com prazos mais longos e, em troca, aceitou como pagamento R$ 12,7 bilhões de NTN-Bs de prazos mais curtos e R$ 2,2 bilhões de LFTs, papéis corrigidos pela taxa básica de juros, a Selic.

Para o coordenador, esse leilão foi importante porque mostrou que existe procura muito específica por papéis de longo prazo. "Está aumentando esta demanda por longo prazo". Ao ser questionado se isso mostrava que os investidores estão acreditando no futuro do País, Garrido respondeu que sim e que está havendo movimento de melhora na composição da dívida pública brasileira não só na substituição dos papéis atrelados à Selic por papéis indexados à inflação e prefixados, mas também no alongamento de prazos. "Este leilão demonstra que existe uma série de investidores, alguns grandes, buscando este alongamento de prazo. Isso é positivo", citou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.