Cresce risco de falta de energia no Norte e Nordeste

Os riscos de suprimento de energia elétrica são crescentes e as regiões Norte e Nordeste poderão ter problemas de oferta a partir de 2009. O alerta faz parte do "Planejamento Anual da Operação Energética 2005" divulgado pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), órgão do governo responsável pela operação do sistema brasileiro. Conforme o ONS, o risco do Nordeste ter problemas de oferta subiu para 9,2% em 2009, ante os 0,9% em 2006, 2,1% em 2007 e 3,6% em 2008. O teto de segurança fixado pelo governo é de 5%. O risco na região Norte atingiria 6,2% em 2009, ante os 1,3% de 2006, 2,3% em 2007 e 2,8% em 2008. A região Sul ficará próximo ao limite, com 4,3% de possibilidade em 2009, ante os 1,1% de 2006, 1,4% em 2007 e 2,0% em 2008. No Sudeste/Centro-Oeste, o patamar ainda ficaria abaixo do teto, situando-se em 2,8% em 2009, ante os 1,0% de 2006, 1,3% em 2007 e 1,6% em 2008. Isso não significa que haverá racionamento de energia nos dois sub-mercados, que estarão acima do teto de segurança. O alerta do ONS é para indicar que, se nada for feito, a restrição da oferta será uma realidade e pode se transformar em racionamento efetivo nos anos seguintes. Se forem adotadas medidas preventivas, ou se o mercado consumidor crescer em ritmo inferior ao previsto, o risco poderá ser menor. O contrário também é válido, com o risco aumentando caso a economia brasileira registre maior crescimento e o consumo de energia elétrica seja superior ao previsto pelo ONS, estimado em torno de 5,3% ao ano com o Produto Interno Bruto (PIB) registrando expansão de 4,4%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.