Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Cresce venda de imóveis usados em São Paulo

Depois de dois meses de quedas consecutivas, a comercialização de imóveis usados no Estado de São Paulo voltou a crescer. Em março, segundo pesquisa do Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci-SP), o índice de vendas evoluiu de 0,4741, em fevereiro, para 0,5040. No mês passado, foram comercializados 635 apartamentos e casas, com aumento de 6,3% no volume de negócios. Em janeiro, a queda no índice havia sido de 0,53% e em fevereiro, de 0,04% em relação ao mês anterior.O índice de locação de imóveis residenciais apurado pelo Creci-SP em março também foi superior. No mês passado, foram alugados 3.002 apartamentos e casas no Estado, equivalente a índice de 2,3825, com crescimento de 11,4% em relação ao volume registrado em fevereiro. Nos dois primeiros meses do ano, o mercado de locação já dava mostras de aquecimento, com aumento de 17,39% em janeiro e de 10,26% em fevereiro.A pesquisa da entidade, realizada junto a 1.260 imobiliárias instaladas em 37 municípios paulistas, trouxe boas notícias para o setor imobiliário. O crescimento das vendas de imóveis em três das quatro regiões paulistas, segundo o presidente do Creci-SP, João Augusto Viana Neto, pode indicar um movimento de reversão dos negócios do setor.Na Capital, as vendas cresceram 14,34% em março. Na região do ABCD, Guarulhos e Osasco, a alta foi de 13,73%. No Interior, a elevação foi de 8,2%. Somente o Litoral apresentou queda na comparação com fevereiro, de 5,74%.Os imóveis na faixa de preços de até R$ 80 mil continuam sendo os mais vendidos nas quatro regiões pesquisadas pelo Cresci-SP. Na Capital, essas unidades representaram 54% das vendas fechadas em março. No Interior, foram equivalentes a 61,11% dos negócios; no Litoral, a 50%; e nas cidades do ABCD, Guarulhos e Osasco, a participação chegou a 67,11%.Aluguéis em altaSegundo o levantamento do Creci-SP, o aumento mais expressivo de novos contratos de locação em março foi registrado na Capital, com alta de 18,68% em relação a fevereiro. Nas cidades do ABCD, Guarulhos e Osasco, o crescimento foi de 12,94%, seguido pelo Interior, com crescimento de 9,75%. Assim como no desempenho das vendas, o Litoral foi exceção, com queda de 3,56% no número de contratos de aluguel assinados no mês passado.Os imóveis com aluguel na faixa de R$ 401 a R$ 600 foram os mais procurados pelos inquilinos em todo o Estado durante o mês de março. Essas unidades concentram 71,62% dos contratos assinados nas imobiliárias da Capital, 82,19% no Litoral, 91,31% no Interior e chegam a 95,06% nas cidades do ABCD, Guarulhos e Osasco.InadimplênciaA pesquisa indica ainda que a inadimplência cresceu na Capital. O porcentual de devedores nas carteiras das imobiliárias consultadas chegou a 6,94% na região, com alta de 14,9% em relação aos 6,04% de fevereiro. Na região do ABCD, Guarulhos e Osasco, os inquilinos com atraso no pagamento do aluguel corresponderam a 8,11% da carteira, ou 5,46% a mais que o verificado em fevereiro. No Interior e no Litoral, a inadimplência caiu 3,01% e 7%, respectivamente, no mês passado.

Agencia Estado,

28 de abril de 2004 | 12h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.