Crescem vagas de empregos temporários

Depois de três anos consecutivos de estabilidade, as contratações temporárias feitas pelo comércio voltaram a crescer neste fim de ano. Cerca de 800 mil vagas temporárias estão sendo abertas pelas redes varejistas para dezembro, 15% a mais em relação a igual período de 1999 na média, segundo pesquisa da Associação Brasileira das Empresas de Serviços Terceirizáveis e de Trabalho Temporário (Assertem). A enquete consultou as 20 maiores empresas de contratação temporária espalhadas pelo País e grandes redes varejistas.O presidente da Assertem, Edson Belini destaca que a pesquisa constatou empresas nas quais o acréscimo chegou a 25% no número de postos de trabalho temporário. Outras registraram um aumento de, no mínimo, 5%. São Paulo responde pela maior fatia das vagas oferecidas, cerca 35%, seguido pelo do Rio de Janeiro.Os salários pagos neste ano ficaram estáveis, descontada a inflação do período, na comparação com os do ano passado. Para dezembro de 2000, os rendimentos estão variando entre R$ 300 e R$ 1.000, revela a pesquisa. Já as chances de efetivação do trabalhador após dezembro caíram pela metade, de 30% para 15%. Bellini diz que a estabilização da economia e gradual redução do número de postos de trabalho no comércio contribuíram para essa retração nos últimos anos.Não foi só a oferta de vagas que aumentou. A procura de trabalhadores por uma ocupação neste fim de ano cresceu. Em 1999, existiam oito candidatos para cada vaga e, neste ano, a proporção subiu para dez pessoas por vaga.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.