Crescimento da economia argentina perde força no 4º trimestre

Ainda assim, economia do país registrou uma expansão considerável no ano passado, com crescimento de 7,3% do PIB no ano; BC argentino prevê crescimento de 6% para este ano

Patrícia Braga, da Agência Estado,

26 de março de 2012 | 18h15

BUENOS AIRES - O crescimento da economia da Argentina enfraqueceu de alguma forma no quarto trimestre do ano passado em relação aos períodos anteriores, devido à desaceleração no setor de manufaturados e enfraquecimento no sentimento do consumidor. Entretanto, a economia do país ainda registrou uma expansão considerável no ano passado. No quarto trimestre de 2011, o produto interno bruto (PIB) cresceu 7,3% no ano e 0,8% no trimestre, informou hoje a agência nacional de estatística da Argentina, Indec. O bateu ultrapassou as expectativas de economistas que esperavam um crescimento de 7% em bases anualizadas.

Em 2011, a economia da Argentina expandiu 8,9%, abaixo dos 9,2% registrados em 2010. Apesar dos números fortes, existem sinais de que a expansão está encolhendo. No ano passado, a economia teve a ajuda da expansão nas exportações, afrouxamento monetário e fiscal e aumento dos gastos do consumidor. Mas em janeiro, o crescimento mensal da atividade, EMAE, cresceu 5,5% no ano e apenas 0,4% no mês.

O banco central do país prevê um crescimento de 6% para o PIB deste ano, embora muitos economistas estejam menos otimistas. A economia do país enfrenta tempos difíceis devido à incerteza na perspectiva para seu principal parceiro, o Brasil. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ArgentinaPIB

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.