Crescimento da manufatura nos EUA é o mais lenta em 19 meses-PMI

A manufatura dos Estados Unidos expandiu neste mês no ritmo mais lento desde 2010, prejudicada por uma demanda externa fraca por produtos norte-americanos, apesar de um aumento nas encomendas domésticas terem ajudado a amortecer a queda.

Reuters

24 de julho de 2012 | 10h29

A empresa de informação financeira Markit informou nesta terça-feira que o Índice de Gerentes de Compras preliminar para julho caiu para 51,8 ante 52,5 em junho. O mês de julho marcou o quarto mês consecutivo de desaceleração do crescimento e a leitura mais fraca do setor desde dezembro de 2010.

O índice continuou acima de 50, indicando que a atividade industrial continuou expandindo, mas com menos rapidez.

As novas encomendas para exportação caíram pelo segundo mês consecutivo, o primeiro declínio duplo em quase três anos, segundo o Markit, ao passo que a recessão na Europa prejudicou a demanda.

"O setor manufatureiro dos Estados Unidos está claramente sofrendo com a pressão da queda das exportações", disse o economista-chefe do Markit, Chris Williamson. "Como um fator tranquilizante, a demanda doméstica aparenta estar mostrando sinais contínuos de resiliência, encorajando as empresas a contratar mais."

Incluindo demanda doméstica, novas encomendas cresceram, apesar de a leitura de 51,9 mostrar que o ritmo de crescimento desacelerou. A leitura de junho foi de 53,7. O índice de emprego subiu para 52,9 em julho ante 52,8.

Ainda assim, economistas preocupam-se que a economia norte-americana, que cresceu 1,9 por cento no primeiro trimestre, perdeu força desde então. Uma pesquisa com 74 economistas consultados pela Reuters espera que o crescimento entre abril e junho tenha desacelerado para 1,5 por cento.

(Reportagem de Steven C. Johnson)

Tudo o que sabemos sobre:
MACROEUAPMI*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.