Crescimento de 6% na indústria puxará PIB de 4,5%, diz Mantega

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse hoje que a indústria deve crescer 6% neste ano e que só este resultado já garantiria uma expansão de 4,5% do Produto Interno Brasileiro (PIB) no período. Ele avaliou como extremamente favorável o crescimento do setor de bens de capital (bens que servem para a produção de outros bens, como máquinas e material de transporte) que, na avaliação dele, reflete o fortalecimento do mercado interno e a melhora do nível de emprego. "É um setor que puxa outros setores, muito dinâmico", afirmou o ministro, que destacou o fato de esse aquecimento estar ocorrendo no início do ano. "Muitas vezes, no início do ano é meio morno, cresce menos. Estamos vendo este ano que a economia está se aquecendo, desde o início do ano e em condições muito favoráveis", afirmou. Entre as condições favoráveis ele citou a queda dos juros e da inflação e o aumento do crédito. No entender dele, não há conjuntura mais favorável e satisfatória para um ministro da Fazenda. Ele se disse muito satisfeito nesta primeira semana no cargo. Mais uma vez, Mantega afirmou que não há possibilidade de mudanças na política econômica e que "inflexão" na política econômica é uma palavra que não existe no seu vocabulário. "Não podemos mudar o que está sendo bem-sucedido", afirmou. Bem-humorado, Mantega chegou a brincar: "Ninguém rasga nota de R$ 100,00 aqui no Ministério da Fazenda".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.