Crescimento deve ficar entre 4 a 4,5% em 2004, diz Fiesp

O presidente da Federação e do Centro das Industriais do Estado de São Paulo (Fiesp/Ciesp), Horacio Lafer Piva, afirmou hoje, em Ribeirão Preto, que o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do País deve ficar neste ano entre 4% e 4,5%. "Não sei se chegaremos a 5%. A indústria deve chegar sem dificuldades, mas nos outros setores vai ser diferente", disse Piva, ao comentar as informações do IBGE para o governo federal, de que o crescimento do PIB já atingiu entre 4,5% e 5% em 2004.Ainda de acordo com o presidente da Fiesp/Ciesp, o crescimento deve continuar no segundo semestre, pelo fato de o período normalmente ter uma atividade econômica mais dinâmica, principalmente em virtude do Natal."Eu não tenho grandes preocupações com o ano de 2004. O meu pensamento já está remetido para 2005. Temos de criar condições, neste segundo semestre, para que o crescimento se sustente no próximo ano", avaliou. "É bom lembrar que o País cresceu 6% (ao ano) entre a década de 30 e a década de 80", concluiu Piva.Já o diretor do Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos (Depecon) da Fiesp e candidato da situação à eleição para a presidência da entidade, Cláudio Vaz, é mais comedido do que Piva. Segundo ele, neste ano o crescimento do PIB deve ficar em 4%, ancorado no mau desempenho do ano passado.Vaz afirmou, para uma platéia de empresários da região de Ribeirão Preto, que o Brasil precisa ter um crescimento do PIB de pelo menos 6% ao ano. "Caso contrário, o País vai parar. Nós temos um contingente imenso de desempregados e, da mesma forma que dois malucos formaram o MST e infernizaram o País, outros movimentos sociais podem aparecer, se não houver o crescimento", comparou Vaz, que faz campanha durante o dia de hoje na cidade do interior paulista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.