Hélvio Romero/Estadão - 24/10/2012
Hélvio Romero/Estadão - 24/10/2012

finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Crescimento do emprego na construção civil tem desaceleração

Taxa de emprego acumula alta de 2,26% este ano e o setor já emprega 890 mil trabalhadores

Agência Estado, Agencia Estado

26 de abril de 2013 | 11h40

SÃO PAULO - A geração de empregos na construção civil cresceu 0,65% em março deste ano em comparação a fevereiro, com a criação de 22,4 mil vagas em todo o País, segundo a pesquisa mensal do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP) realizada em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV). Esse número, contudo, é inferior aos 40,1 mil empregos criados pelo setor em março de 2012.

Na avaliação do presidente do SindusCon-SP, Sergio Watanabe, os números comprovam que o ritmo de crescimento da construção brasileira continua desacelerando, devido a retração dos investimentos do setor.

"Em função da redução do ritmo dos investimentos, configura-se uma expansão mais moderada da atividade do setor, embora em patamar ainda elevado. Acreditamos que este quadro vá se manter nos próximos meses", comentou o executivo, conforme a nota divulgada pela entidade.

No primeiro trimestre deste ano o nível de geração de empregos acumula alta de 2,26%, com a criação de 76,1 mil postos. O indicador é inferior ao patamar verificado em 2012, que foi de 123 mil novas vagas.

No acumulado de 12 meses até março o número de trabalhadores empregados cresceu 1,43%, com a criação de 48,6 mil vagas (contra 248,1 mil nos 12 meses encerrados em março de 2012). Com isso, a construção civil brasileira empregava 3,45 milhões de trabalhadores legais ao fim de março deste ano.

No Estado de São Paulo, o nível de contratação cresceu 0,77% em março de 2013 ante fevereiro, om a abertura de 6,8 mil vagas, abaixo dos 10,3 mil novos postos apurados em março do ano passado.

No primeiro trimestre de 2013, a geração de empregos foi de 23,2 mil, inferior aos 29,1 mil postos de igual período do ano passado. Ao final de março, as empresas paulistas da construção somavam 890 mil empregados com carteira assinada.

Tudo o que sabemos sobre:
empregoconstruçãoSinduscon-SPmarço

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.