Crescimento do País está aquém do esperado, diz S&P

Segundo presidente da agência para o Cone Sul, em janeiro muitos especialistas esperavam alta do PIB de 4% neste ano, enquanto que os pessimistas aguardavam uma expansão de 3% 

Ricardo Leopoldo, da Agência Estado,

28 de novembro de 2012 | 12h41

A presidente da Standard & Poor''s para o Cone Sul, Regina Nunes, afirmou que o avanço da economia em 2012 "está sendo mais lento do que o esperado há um ano". Segundo ela, em janeiro muitos especialistas esperavam alta do PIB de 4% neste ano, enquanto que os pessimistas aguardavam uma expansão de 3%.

"Mas o crescimento em 2012 ficará ao redor de 1,5%, o que ocorre devido a razões intrínsecas, como carência de investimentos em infraestrutura, que prejudica a produtividade", afirmou, ressaltando que a crise internacional afetou muito o ritmo de incremento do Produto Interno Bruto (PIB) nos últimos 10 meses. Ela fez os comentários durante o seminário "Financiamento para o Desenvolvimento", da série de Fóruns Estadão Brasil Competitivo, promovido pelo Grupo Estado em parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Regina, contudo, destacou que o importante para a nota soberana do País é criar condições para registrar um crescimento sustentado no longo prazo. "Mas é preciso dizer que o Brasil tem muita lição de casa para fazer, pois faz mais lentamente do que é possível e do que é preciso", comentou. "Um país que cresce 1,5% não é um país em desenvolvimento", disse. "Esse crescimento está ocorrendo mais lentamente do que a gente gostaria, mas não é fácil mexer nisso daqui, pois tudo que se mexe causa efeito colateral", destacou.

Ela também destacou que o ritmo lento faz parte da democracia grande, com uma população superior a 190 milhões de pessoas. A executiva da S&P ponderou, contudo, que o rating do Brasil registrou uma evolução rápida em cinco anos e que é um caso único no mundo. Ela destacou que a nota do País é BBB, cuja perspectiva estável tem viés positivo para o médio prazo.

Presidente/Invepar está otimista com captação de recursos para infraestrutura no setor privado JÁ NO EMPRESA E SETORES -

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.