Crescimento do PIB confirma retomada

Depois de meses de angústia sobre a consistência da recuperação econômica, o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro trimestre, divulgado nesta quinta-feira, deu um impulso à estratégia da equipe econômica do governo. O PIB cresceu 1,6% nos primeiros três meses de 2004, mantendo pelo segundo trimestre seguido um ritmo que, se estendido por 12 meses (anualizado), significa um crescimento de mais de 6% ao ano.A comparação é com os trimestres imediatamente anteriores (o último de 2003 avançou 1,5% em relação ao terceiro. Na comparação com o mesmo período do ano anterior, o PIB brasileiro cresceu 2,7% no primeiro trimestre de 2004, interrompendo uma série de três quedas trimestrais. O PIB do primeiro trimestre foi saudado quase euforicamente pelo mercado financeiro e pelas consultorias econômicas. Para a maioria dos analistas, o resultado do PIB no primeiro trimestre mostra que a economia ingressou em um forte ritmo de recuperação a partir do último trimestre de 2003, que não foi interrompido nos primeiros três meses de 2004. Como a retomada ainda é em grande parte puxada pelo setor externo, os reflexos no consumo das famílias e no emprego são tímidos, o que explica os indicadores decepcionantes nestas áreas divulgados ao longo deste ano.Com a divulgação, já se iniciava um movimento de revisão para cima das projeções que bancos e consultorias fazem sobre o crescimento da economia em 2004. O intervalo entre 3,5% e 4% deve voltar a prevalecer, após um período pessimista em que se chegou a questionar se o País conseguiria crescer 3% neste ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.