Crescimento econômico desacelera no mundo industrializado--OCDE

O crescimento econômico está perdendoforça no mundo industrializado depois de um período de expansãoacentuada e a economia dos Estados Unidos passa por uma fortedesaceleração, mas não entrará em recessão, informou nestaquinta-feira a Organização para Cooperação e DesenvolvimentoEconômico (OCDE). Em seu relatório semestral, a OCDE afirmou que China,Índia, Rússia e outras economias em ascenção vão continuarcrescendo em ritmo acelerado e que os problemas do mercadofinanceiro são os maiores riscos neste momento. A organização elogiou os recentes cortes da taxa de juronos Estados Unidos, adotados para ajudar a maior economia domundo a enfrentar a crise do setor imobiliário. A entidade recomenda ainda que o Banco Central Europeu e oBanco do Japão devem descartar o aumento dos juros no próximoano e apoia a redução da taxa pelo Banco da Inglaterra. A OCDE estima um crescimento de 2,0 por cento para aeconomia norte-americana no próximo ano, antes de voltar para opatamar de 2,2 por cento de expansão em 2009, taxa esperadapara 2007. Mas o economista-chefe da entidade, Jorgen Elmeskov, disseque a imediata desaceleração no ritmo de crescimento será maisacentuada do que os dados sugerem. "Diversos choques afetaram as economias da OCDErecentemente: turbulência financeira, esfriamento do mercadoimobiliário e preços altos de energia e outras commodities",afirma a entidade em seu relatório. "O ano de 2007 será o quarto de crescimento acima da médiana área da OCDE, mas a atividade está moderando neste momento." Além das estimativas para os 30 países industrializados queformam a organização, o relatório da OCDE trouxe projeções paraalguns países emergentes como a China e afirmou que essaseconomias vão continuar a gerar sustentação para o crescimentogeral da economia mundial, apesar dos problemas nos EstadosUnidos. O crescimento na zona do euro deve ser de 1,9 por cento nopróximo ano, depois de atingir 2,6 por cento em 2007. Para oJapão, a organização espera uma expansão de 1,6 por cento para2008, ante crescimento de 1,9 por cento em 2007. Já para o Brasil, o relatório da OCDE estima crescimentoreal de 4,8 por cento este ano, seguido por expansão de 4,5 porcento em 2008.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.