Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Crescimento será de 5% ou 6% a partir de agora, diz Dilma

A ministra chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, afirmou nesta quarta-feira que a trajetória de queda da inflação acompanhada de um recuo das taxas de juros como acontece agora no País não ocorrem no há anos, e permitirão taxas de crescimento econômico mais elevadas. "Este governo pode dizer: vamos crescer a partir de agora 5% ou 6% porque criamos as condições para isso." Dilma destacou que o governo Lula "fez o dever de casa e colocou o País em uma situação econômica confortável, não só pelas contas externas superavitárias mas também pela queda na inflação". "A inflação está chegando abaixo do limite inferior da meta", disse Dilma, explicando que fez uma referência a avaliações do mercado e não a uma avaliação do governo. A ministra também comentou que o governo tem melhorado a qualidade do gasto fiscal.

Agencia Estado,

04 de outubro de 2006 | 16h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.