Crescimento será menor na na América Latina, diz Moreno

Além da falta de liquidez, preidente do BID destaca que a energia será um desafio para o crescimento

Suzi Katzumata, da Agência Estado,

21 de novembro de 2008 | 18h36

O presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Luis Alberto Moreno, disse que o crescimento da América Latina vai cair para 2,5% em 2009, de uma expansão projetada de 4,5% em 2008. "Estamos sofrendo as conseqüências de algo que aconteceu nos Estados Unidos e na Europa", disse Moreno durante o encontro de cúpula da Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (Apec, na sigla em inglês), em Lima (Peru).  Moreno elogiou a estabilidade econômica e sistemas fiscais saudáveis na Colômbia, Chile e Peru, mas disse que a região provavelmente verá uma desaceleração no crescimento no próximo ano, como um resultado da crise financeira global. "A liquidez é o maior problema para a região", disse Moreno.  O presidente do BID acrescentou que a energia também representa um desafio para o crescimento no longo prazo na América Latina e disse que a demanda por energia da região vai crescer 75% até 2030. Embora o crescimento esteja se mantendo estável na América Latina nos últimos anos, a região ainda tem uma das distribuições de renda mais desiguais no mundo. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
BIDcrescimentocriseAmérica Latina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.