CRF-DF: farmácias venderão 75% dos genéricos

O Conselho Regional de Farmácia do Distrito Federal (CRF-DF) divulgou hoje à Imprensa nota informando sobre a edição de deliberação que obriga as farmácias de Brasília a terem medicamentos genéricos para a venda. A deliberação do CRF-DF define que as farmácias são obrigadas a ter nas prateleiras, no mínimo, 75% dos 216 medicamentos genéricos que já estão disponíveis para venda nas farmácias.A deliberação visa a proteger o consumidor que não encontra nas farmácias todos os genéricos registrados. Como há diferenças de preços de até 97% entre genéricos com o mesmo princípio ativo, as farmácias terão de manter as várias opções para o consumidor. Um exemplo da relevância de se oferecer todos os genéricos equivalentes está na Amoxicilina. O antibiótico com 21 cápsulas do laboratório Eurofarma custa R$ 9,87, enquanto o mesmo remédio em quantidade idêntica produzido pelo laboratório Medley, sai por R$ 16,24. Fora do DF as farmácias apenas mantêm lista de genéricosAs farmácias de todo o país estão obrigadas, por Resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a manterem uma lista com os nomes de todos os genéricos, entretanto não são obrigadas a colocar os medicamentos à disposição. A deliberação do CRF-DF, que obriga as farmácias a venderem os genéricos, só é válida para o Distrito Federal, que é a área de competência da autarquia.O Conselho de Farmácia vai encaminhar sugestões para que a Anvisa edite resolução semelhante, obrigando as farmácias de todo o Brasil a colocar à disposição os genéricos.

Agencia Estado,

04 de abril de 2001 | 18h55

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.