Criação de empregos formais em janeiro cresce 2,4%

Saldo positivo para o mês em 2014 foi de 29.595; comércio é o único setor a apresentar resultado negativo     

Ayr Aliski, da Agência Estado,

20 de fevereiro de 2014 | 14h02

BRASÍLIA - Foram criados em janeiro 29.595 empregos formais, divulgou nesta quinta-feira, 20, o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). O resultado é o saldo entre 1.778.077 admissões e 1.748.482 demissões ocorridas no mês, de acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

Em relação a janeiro de 2013, o avanço do saldo de vagas formais foi de 2,4%. Nos últimos 12 meses, foram criados 1.045.848 postos de trabalho no Brasil, uma expansão de 2,64%.

Recuo no comércio. Entre os diversos setores da economia, apenas o comércio apresentou recuou no último mês, com queda de 78.118 postos de trabalho. A indústria da transformação gerou 38.516 postos. A construção civil gerou 38.058 postos de trabalho formais e o setor de serviços apresentou alta de 24.681 postos. A agricultura gerou 3.745 postos de trabalho.

Sobre o comércio, o ministro do Trabalho, Manoel Dias, afirma que há forte movimento de contratação em dezembro, devido às festas de final de ano.

"Depois são dispensados", analisou. Sozinho, o comercio varejista fechou 82.751 no mês passado.

Segundo o MTE, o bom desempenho do emprego na indústria de transformação derivou-se da expansão em dez dos 12 segmentos que a integram. Os ramos industriais que se sobressaíram foram indústria de calçados (mais 8.942 postos), indústria mecânica (+6.177 postos), indústria têxtil (+6.177) e indústria da borracha (+3.899 postos). Houve recuo na indústria de material de transporte (-1.092) e indústria de produtos alimentícios (-1.088).

Pelo Brasil. O nível de emprego formal, por regiões, cresceu somente no Sul e no Centro-Oeste em janeiro. O Sul gerou 39.892 postos em janeiro e o Centro-Oeste, 15.480 postos formais no mês passado.

As demais regiões tiveram desempenhos negativos. O Nordeste fechou 10.66 postos, o Norte perdeu 7.801 empregos e o Sudeste cortou 7.310 empregos.

De todas as unidades da Federação, 14 apresentaram alta no nível de emprego. Os destaques foram Santa Catarina (com saldo positivo de 18.317 postos); Paraná (+11.911), Mato Grosso (+10.264 postos), Rio Grande do Sul (+9.584 postos), São Paulo (+7.949 postos) e Minas Gerais (+7.211).

A maior redução no emprego ocorreu no Estado do Rio de Janeiro, com retração de 21.548 vagas, devido especialmente à queda expressiva do setor de comércio (-17.679 postos).

Tudo o que sabemos sobre:
Caged

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.